sábado, 17 de setembro de 2016

E ainda que doa...


Sentir você aqui, dentro de mim, mesmo longe, é como sentir uma brisa suave tocando o meu rosto e me lembrando que certas coisas ainda valem a pena.
Sentir você aqui, dentro de mim, é viver essa constante contradição, é saber que não posso partir, que não posso simplesmente virar às costas e esquecer, é confessar a minha fraqueza quanto a você.
Te olhar, tocar teu rosto, te beijar, sentir tua respiração, são lembranças que queimam em meu corpo, que povoam a minha mente e que alimentam a minha alma, já um pouco cansada e desacreditada.
Não sei dizer, o que será do dia de amanhã, do depois de amanhã e dos outros que virão, não tenho muitas certezas, as que tenho, caem por terra, quando estou com você, só sei que há esses momentos, que ficamos juntos, que somos só nós dois, que você está comigo e me faz perceber o quanto sou sua, mesmo que depois eu negue, mesmo que depois eu minta para mim mesma, mesmo que depois eu feche os olhos e finja que nada aconteceu, que foi apenas um sonho, mesmo assim, teu toque ainda queima em mim, o calor de tuas mãos na minha pele, o som da tua voz e o meu delírio, mesmo que eu negue, não consigo deixar de desejar, o prazer e a dor de querer estar com você.
E ainda que doa, eu não consigo resistir, mesmo que o desejo machuque, que o meu corpo queime todo, dentro de mim, ainda assim, o meu mundo toma outra forma, cada vez que estou com você... E é quando você vem, me toma em teus braços, me envolve, mina todas as minhas resistências, eu me vejo fazer sentido e me perco completamente.
Diana Lestan