segunda-feira, 6 de junho de 2016

E você se engana...


E você se engana, ingênua que é, tentando fazer de uma ilusão algo palpável, tentando segurar a fumaça entre os dedos, mas a vê dissolver dia após dia.
E você se engana, boba que é, fazendo de cada instante, minuto importante, mas as mãos estão vazias, o corpo trêmulo com o frio da ausência e no ar se dissipa as dúvidas, trazendo o pensamento derradeiro.
E você se cansa de se enganar, saí desarrumando tudo de lugar, jogando ao chão seus detalhes e suas confusões descomunais, e, se esvai na penumbra do seu ser, que punge até que se finda, se desfaça, havendo apenas aquela luz aparentemente calma e fugaz, da certeza que já não existe mais,  que se desfaz.

Diana Lestan


4 comentários:

  1. OI DIANA!
    UM BELO TEXTO.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Querida Zilani, feliz que tenha gostado, vou correndo conferir seu lindo blog... Beijo e uma ótima semana para você.

      Excluir
  2. Não se engana. Apenas guarda tudo no coração. Silenciosamente...
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Graça,

      Sim, talvez essa seja a solução, mas... quem disse que o coração é silencioso? Ele clama, chama, se engana...

      Um beijo no coração e ótima semana para você.

      Excluir